Espinhas no rosto: quais as principais causas?

Ninguém está livre das espinhas no rosto – e quando elas surgem podem causar problemas de autoestima em algumas pessoas. Para tratá-las corretamente, é fundamental entender quais são suas causas e, assim, evitar o aparecimento delas.

Quer entender melhor? Continue conosco!

O que são as espinhas?

As espinhas aparecem quando os folículos pilosos ficam obstruídos. Isso pode ocorrer devido a diferentes substâncias, como sebo, poeira, fuligem, poluição, maquiagem etc.

A partir do entupimento dos poros, há mais chance de uma colonização de bactérias, que geram uma inflamação, causando as espinhas. O rosto é o lugar mais comum, porém as espinhas podem surgir em qualquer parte do corpo, como nas costas, nas nádegas e até no couro cabeludo.

Quais as causas das espinhas no rosto?

São muitos os fatores causadores das espinhas no rosto. O mais comum, contudo, é a pele oleosa, que favorece o excesso de oleosidade na região, entupindo os poros e formando o processo que explicamos acima.

O quadro pode ficar pior se você não tiver o hábito de realizar uma limpeza adequada da face, com rotinas de cuidados específicos, por exemplo, sem lavar à pele antes de dormir ou esquecer de retirar a maquiagem. Outras causas são:

1) hiperqueratinização folicular: quando há uma proliferação excessiva de queratinócitos (células da pele), que favorece a obstrução dos poros;

2) colonização de bactérias: principalmente pela bactéria Propinibacterium acnes que se alimenta do sebo produzido pelas glândulas sebáceas;

3) resposta imunológica e inflamatória: a contaminação por bactéria promove uma resposta imunológica, com a liberação de mediadores inflamatórios;

4) adolescência: principalmente entre os 12 aos 18 anos, pois neste período há o aumento da produção de hormônios androgênicos, como a testosterona, que estimulam a produção da oleosidade;

5) acne tardia: costuma acontecer em mulheres após os 30 anos, causada principalmente por alterações na quantidade de sebo ou de queratina produzidos na pele, ou, ainda, por um acúmulo maior de bactérias;

6) limpeza incorreta da pele: não retirar a maquiagem é um dos principais causadores de espinhas no rosto, pois o acúmulo desses produtos, acaba obstruindo os poros e facilitando a formação dos cravos e espinhas, principalmente os produtos de baixa qualidade produzidos a base de óleos;

7) uso de produtos muito gordurosos: hidratantes e protetores solares que não são indicados para peles oleosas podem conter muito óleo e gordura, ajudando a obstruir os poros e causando os cravos e espinhas. O ideal é optar por produtos não comedogênicos (que não entopem os poros) e que sejam oil-free;

8) consumo de determinados alimentos: alguns alimentos podem ser inflamatórios para a pele, como doces, leites, carboidratos e frituras, aumentando a produção das acnes, pois alteram a produção de alguns hormônios e estimulam a inflamação da pele, favorecendo o surgimento de espinhas no rosto;

9) doenças hormonais: a síndrome do ovário policísticos é uma das principais doenças, pois ela aumenta a produção dos hormônios androgênicos que atuam aumentando a produção da oleosidade e deixando-a mais tendenciosa às acnes;

10) reação medicamentosa: alguns medicamentos têm como efeito colateral a inflamação da pele com a formação de acne. É o caso dos corticoides e alguns anti-inflamatórios;

11) excesso de sol: se expor ao sol de maneira excessiva também pode contribuir para a formação de espinhas no rosto, pois a radiação UV acelera a inflamação e a produção de oleosidade na pele;

12) genética: existem pessoas que têm a genética propícia à formação de acne. Nesses casos, há uma maior tendência às reações imunes e as lesões inflamatórias na pele;

13) gravidez: algumas grávidas sofrem mais com espinhas no rosto, devido ao aumento da progesterona.

O que significa a posição das espinhas no rosto?

Já deu para notar que são várias as causas de espinhas no rosto, não é? Além disso, a posição onde a espinha aparece pode ajudar a pensar nos motivos por trás desse problema de pele. Veja os locais mais comuns e o que eles indicam:

  • espinhas nas bochechas: geralmente é uma acne de origem cosmética, devido ao acúmulo de resíduos de maquiagem, obstruindo os poros;
  • espinhas no pescoço, na mandíbula e no queixo: esses locais estão mais associados aos distúrbios hormonais nas mulheres, principalmente a síndrome dos ovários policísticos;
  • espinhas na testa: costumam ser reflexo da oleosidade dos cabelos que entram em contato com a pele transmitindo o sebo;
  • espinhas no nariz: o nariz é uma área seborreica, que tem maior tendência ao aumento da oleosidade e dilatação dos poros, o que predispõe o aumento dos cravos e espinhas.

Como tratar as espinhas no rosto?

O tratamento para as espinhas no rosto depende muito das suas causas. No caso de problemas hormonais, como a síndrome dos ovários policísticos, por exemplo, é fundamental o acompanhamento médico, pois você poderá ter que usar anticoncepcionais e outros medicamentos.

De uma forma geral, contudo, os cuidados diários com a pele ajudam a reduzir o surgimento das espinhas. Para isso, algumas dicas são fundamentais, como:

  • lavar o rosto de 2 a 3 vezes por dia com sabonetes antissépticos ou a base de enxofre, que ajudam a reduzir a oleosidade;
  • retirar a maquiagem e o excesso de produtos do rosto todas as noites, usando tônicos, demaquilantes ou água micelar;
  • aplicar sérum ou loção a base de ácidos ou antibióticos para controlar as lesões ativas;
  • aplicar um secativo nas espinhas maiores e mais inflamadas;
  • hidratar a pele com um creme específico para seu tipo de pele, de modo a evitar o efeito rebote;
  • usar filtro solar não comedogênico e específico para o seu tipo de pele.

Outra dica importante é NUNCA espremer uma espinha, porque há riscos de você causar uma inflamação mais profunda e generalizada próxima ao local da lesão. Em alguns casos, isso pode ser tão sério que você precisará até de uma drenagem cirúrgica.

Além disso, cuide da sua alimentação, evitando os alimentos muito gordurosos que não fazem bem à pele, e também os derivados do leite, quando sua pele estiver com muitas espinhas, porque eles podem favorecer aos quadros inflamatórios, piorando a situação.

Se nada disso resolver, é fundamental procurar ajuda especializada de um médico dermatologista, que solicitará mais exames para entender as causas das suas espinhas no rosto.

Gostou deste conteúdo? Acesse o nosso quiz e descubra quais produtos são mais indicados para tratar e cuidar da sua pele!