Tratamento para rosácea: qual o mais indicado?

Rosto avermelhado, quente e ardendo. Essas são algumas das características da rosácea, uma doença inflamatória crônica da pele que se manifesta principalmente no centro da face, mas pode se expandir para as bochechas, nariz, queixo e testa.

Quem sofre com esse problema, está sempre em busca de um tratamento para rosácea. Afinal, embora ela não tenha cura, com os cosméticos certos é possível amenizar a situação e trazer mais bem-estar.

Você sofre com a rosácea? Saiba que é muito importante escolher os produtos certos para seu rosto. Por isso, recomendamos que você faça o nosso quiz. E, depois, claro, continue lendo este artigo!

O que é rosácea?

A rosácea é uma doença vascular inflamatória crônica que tem períodos de remissões e de exacerbações. Popularmente, essa doença também é chamada de “acne rosácea”, embora esse não seja um termo adequado.

Isso porque a acne é uma doença da glândula sebácea e tem uma formação totalmente diferente da rosácea.

Em geral, a rosácea atinge adultos dos 30 aos 50 anos e é mais frequente em mulheres, porém, homens também podem sofrer com o problema – que tende a ser mais grave neles.

Tipos

A rosácea pode ser dividida em 5 tipos clássicos, que são:

  • Tipo 1: eritemato-telangectasica: pele com um tom avermelhado, rosado e com a presença de pequenos vasos evidentes, especialmente na região centro facial (próximo às narinas). O avermelhamento piora com a exposição solar, com o estresse, com as atividades físicas e com o calor, além da pele ser mais sensível;
  • Tipo 2: rosácea pápula pustulosa: além do tom avermelhado, a pele apresenta lesões pápulo-pustulosas em surtos. A pápula lembra bastante a acne (embora sua formação seja bem diferente) e esse tipo é mais comum em homens, com melhoras e pioras;
  • Tipo 3: rosácea fimatosa: a pele se torna espessada, endurecida e avermelhada, com os poros dilatados. As glândulas sebáceas do nariz tendem a aumentar – o que pode fazer que, com o tempo, o nariz também aumente de tamanho. Ela é mais comum em homens com mais de 50 anos;
  • Tipo 4: rosácea ocular: caso que atinge os olhos, causando a blefarite, deixando a região avermelhada e com descamação dos cílios. É o tipo mais grave de rosácea porque pode evoluir para a perda de visão;
  • Tipo 5: granulomatosa: tipo raro em que há o surgimento de pequenos nódulos acastanhados no rosto, com um diagnóstico muito difícil.

Sintomas

Os sintomas mais comuns da rosácea são: face avermelhada com pequenos vasos sanguíneos no nariz e nas bochechas inchados e visíveis, sensação de calor, protuberâncias na face (semelhantes a espinhas), nariz deformado, olhos secos, pálpebras rosadas e coceira.

O que causa rosácea?

As causas da rosácea ainda não são totalmente conhecidas. O que se sabe é que ela se manifesta em quem possui uma predisposição (sendo mais comum em brancos e descendentes de europeus).

A doença também pode ter um caráter familiar, o que evidencia uma possibilidade genética. Outro gatilho importante para piorar as crises é o estresse.

A teoria mais aceita no momento para a causa da rosácea é a atuação excessiva do sistema imunológico quando a pele é exposta a determinados estímulos externos como: raios solares, traumas físicos ou químicos, germes etc.

Essa resposta muito intensa do sistema imunológico gera uma inflamação na pele e a dilatação dos pequenos vasos sanguíneos superficiais, o que causa a vermelhidão e a sensação de calor.

Entre os germes mais relacionados à rosácea estão o Demodex folliculorum e a bactéria Bacillus olenorius, ambos presentes normalmente na nossa pele.

Fatores desencadeantes

Os médicos já notaram que existem alguns fatores que podem desencadear a rosácea ou agravar as crises, como:

  • Exposição ao sol;
  • Exposição a temperaturas muito altas ou muito baixas;
  • Alimentos picantes;
  • Bebidas quentes;
  • Álcool;
  • Atividade física intensa;
  • Irritação da pele devido ao uso de cremes, maquiagens ou outros produtos;
  • Nervosismo, estresse e ansiedade.

Qual o tratamento para rosácea?

Embora não tenha cura, o tratamento para rosácea ajuda bastante a aliviar os sinais e sintomas. O dermatologista é quem deverá lhe orientar o tratamento certo, baseado na gravidade dos sintomas.

Em todos os casos, contudo, é indicado evitar os fatores desencadeantes que citamos no tópico anterior.

Outra dica importante é sempre usar o filtro solar, com fator de proteção (FPS) mais alto e que seja capaz de proteger contra os raios UVA e UVB, pois o sol pode agravar a situação da rosácea.

Na hora que for escolher o protetor solar, prefira as formulações indicadas para peles sensíveis. As versões tonalizantes também são indicadas, pois ajudam a amenizar a vermelhidão, que incomoda muitas pessoas.

Outros dermocosméticos para peles sensíveis podem ajudar a acalmar a pele e reduzir a vermelhidão, proporcionando mais hidratação e recuperando a barreira cutânea.

Quando for limpar a pele, prefira sabonetes suaves, que limpam e removem as impurezas, mas mantêm a hidratação. Alguns bons componentes são: alantoína, pró-vitamina B5 e prebióticos que fortalecem as barreiras naturais da pele.

Você também pode investir em emulsões suaves que acalmam a pele, deixando-a mais hidratada, com formulações com manteiga de karité, pantenol e ceramidas, além de extrato de algas vermelhas e vitaminas.

O dermatologista também poderá lhe indicar medicamentos tópicos que ajudam a reduzir a inflamação e a vermelhidão, como peróxido de benzoíla, tretinoína, ácido azeláico, ivermectina, brimonidina, além de antibióticos como doxiciclina ou metronidazol.

No caso das rosáceas pápulo-pustulosas o seu médico poderá lhe prescrever antibióticos orais que ajudam a controlar a inflamação. Os mais comuns são tetraciclina, eritromicina e minociclina.

Outra alternativa é o tratamento com laser e luz intensa pulsada que ajudam a reduzir e até eliminar as telangiectasias. Porém, esses tratamentos não são indicados para quem tem diabetes ou tendência a queloides, devido aos efeitos colaterais como vermelhidão, inchaço e descamação na pele.

Rosácea ocular

Se você está com sintomas de rosácea ocular, deve procurar imediatamente um oftalmologista. Ele poderá lhe prescrever antibióticos orais, lubrificantes oculares (para aliviar o ressecamento dos olhos), entre outros.

De qualquer forma, é muito importante que o tratamento para rosácea seja feito apenas com acompanhamento médico. Isso porque a pele de quem sofre com essa doença é muito sensível a produtos químicos e físicos, como sabonetes, adstringentes, abrasivos e outros.

Gostou de saber mais sobre o tratamento para rosácea? Aproveite e faça o nosso quiz para descobrir os produtos mais indicados para o seu tipo de pele!